Home » Categorias: Blog, Noticias - Arte Poética de Armando Correia

Arte Poética de Armando Correia


access_time 19,Maio,2012


armando_correia_ceramica

Vai ter lugar no dia 2 de Junho, pelas 17 horas, no Casal da Eira
(Infantes – Salir de Matos) uma homenagem a Armando Correia

Trata-se de Relembrar Armando Correia, a partir da sua obra de ceramista, desenhador, pintor, escultor e poeta.

Armando foi um grande ceramista, um grande artista que nos deixou uma obra digna de ser apreciada, pensada e falada. Por isso, alguns amigos vão dizer e falar da ARTE POÉTICA DE ARMANDO na tarde do dia 2 de junho, com júbilo e com gratidão pelo que nos deixou.

Para quem nunca se cruzou com a sua obra, pode ver alguns exemplares em espaços públicos das Caldas da Rainha, como piscina dos bombeiros, salão nobre da câmara e à entrada do Camaroeiro.

Entre outros amigos falarão Paulo Henriques (sobre a sua obra cerâmica), Adriana Nogueira (sobre os mitos na obra de Armando) e Matilde do Couto (sobre o seu convívio com Armando). Mas haverá mais, incluindo um CD com fotos de parte das suas peças e textos de amigos.

Armando Correia (Armando José da Silva Correia)

(Caldas da Rainha, 1936 – 2008) 

Armando Correia nasceu em Caldas da Rainha em 1936. Seu pai, Avelino Correia, devia o seu nome ao facto de ser sobrinho e afilhado de Avelino Belo, grande ceramista caldense, discípulo de Bordalo Pinheiro.

Aí, no ano de 1955, completa o Curso Técnico de Cerâmica. Curiosamente, o seu primeiro emprego, quando terminado o curso, não foi na cerâmica mas na nascente indústria do plástico, na Marinha Grande, onde, cerca de 30 anos depois, veio a leccionar um curso intensivo de cerâmica, muito concorrido, promovido pela recém-fundada Galeria de Arte Roca.

De 1960 a 1969 lecciona na Escola de Olaria e Cerâmica de Viana do Alentejo.

Expõe nos Salões da Primavera e Outono do Estoril onde obtém três primeiros prémios de cerâmica, medalhas de prata (1963 e 1965) e um 1º prémio de Salão (1967).

Em 1970 funda, com Leão Lopes, em Condeixa, o Grupo “Z-Atelier de Cerâmica” Em 1974 expõe em Coimbra.

Em 1975 trabalha no Departamento de Criatividade de uma fábrica de cerâmica em Espanha, tendo exposto em Talavera de La Reina.

Em 1980 regressa definitivamente à sua terra natal.

Em 1984 expõe em Óbidos e Caldas da Rainha (GAT), seguindo-se, posteriormente, Marinha Grande (Galeria Roca), Coimbra (Teatro Gil Vicente) e outras localidades.

Em 2002 foi homenageado com a Medalha de Mérito, Grau Ouro, pela Câmara Municipal de Caldas da Rainha, pela sua obra cerâmica. Também possui vasta produção artística no domínio da pintura.

A sua obra está representada no Museu do Azulejo e faz parte de colecções privadas quer no país, quer no exterior, onde expôs por diversas vezes, quer a título individual, quer integrado em colectivas.



Um comentário a “Arte Poética de Armando Correia”

  1. Luís Filipe Gaspar diz:

    Que dizer do Armando?
    Leccionámos juntos na ESAD durante vários anos, tendo sido a nossa relação não apenas profissional, mas também de uma grande amizade.
    Inúmeras atividades foram desnvolvidas em conjunto: colaboração na montagem da oficina de cerâmica da Escola, orientação de estágios, montagem de exposições, etc. Também em conjunto fomos oradores em várias palestras.
    A sua sensibilidade artística manifestava-se também na sua enorme qualidade como desenhador, que complementava com a poesia do seu pensamento e da palavra.
    Obrigado Armando por tudo o que me ensinaste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *